Agência TBO
Holografia: como isso pode afetar o espaço arquitetônico

Holografia: como isso pode afetar o espaço arquitetônico

Embora os hologramas tenham sido uma possibilidade por décadas – o primeiro holograma foi desenvolvido no início dos anos 1960 após o desenvolvimento da tecnologia a laser – muitos ainda podem associá-los mais à ficção científica, o termo evocando imagens de aparelhos de super-heróis de alta tecnologia e naves espaciais no futuro distante. 

No entanto, conforme nos aproximamos da realidade de um futuro hiper-tecnológico e uma variedade de indústrias – incluindo arquitetura e construção – começam a abraçar novas formas de tecnologia cada vez mais avançada, a holografia também tem a chance de remodelar completamente a maneira como conceitualizamos e arquitetura de experiência.

Embora seja impossível prever exatamente como a tecnologia holográfica será usada no futuro, existem vários exemplos de projetos que usam hologramas e outros tipos de holografia para criar ambientes atmosféricos, cenas fantásticas e visualizações práticas. 

Esses exemplos vão além do uso de hologramas para visualizar estruturas e locais durante a fase de projeto; eles utilizam a holografia para moldar o próprio espaço arquitetônico completo, alterando completamente a experiência sensorial e espacial de seu ambiente.

SALAS DE HOLOGRAMA

A Euclideon (empresa australiana de software de computador, mais conhecida por um mecanismo de gráficos 3D) recentemente foi notícia por sua produção da primeira mesa de holograma multiusuário do mundo, que pode em breve transformar a forma como as visualizações arquitetônicas tridimensionais são convencionalmente feitas e discutidas. 

No entanto, a empresa também oferece salas de holograma – ambientes imersivos que recriam a funcionalidade potencial da mesa de holograma em maior escala. Usando uma varinha de controle, os usuários podem viajar por ambientes arquitetônicos tridimensionais projetados ou observar produtos holográficos, como carros e aeronaves. Alternativamente, eles podem criar ambientes fantásticos para entretenimento, ou até mesmo ser usados ​​para jogar jogos tridimensionais projetados holograficamente.

Tais salas de holograma demonstram como a tecnologia holográfica pode ser usada para substituir objetos físicos ou experiências por hologramas ilusórios, porém imersivos.

PROBLEMA EM MÃO

As inovações de VR / AR, como a maioria das tecnologias de hoje, mudaram as normas sociais, causando uma mudança de paradigma em direção ao desvio social. Ironicamente, uma mercadoria que se destina a conectar e aproximar as pessoas, na verdade nos separou. Mais especificamente, a recente fase VR / AR isolou seus usuários, fazendo-os colocar um fone de ouvido para uma experiência individual. Ao usar esses dispositivos, as pessoas absorvem o conteúdo sozinhas, sem saber o que está acontecendo ao seu redor e incapazes de compartilhar seus encontros. É hora de o mundo testemunhar e interagir com a revolução do holograma liderada pela “Realidade Holográfica”.

CONCEITO

Em um esforço para contrariar o tratamento da tecnologia como um esforço pessoal, este empreendimento visa fornecer uma experiência comum versátil para um ambiente estático. “Holographic Reality” é uma estrutura física com uma aplicação virtual. Chamá-lo de arranha-céu apenas “arranha a superfície”. Em vez disso, pode ser mais apropriadamente descrito como uma tela aberta, pronta para mostrar várias formas de mídia sem complicações. Os observadores podem participar da atividade relaxante de observação de pássaros durante o dia e se alegrar com a vitória de seu time favorito à noite. Não importa qual seja o aplicativo, um tema comum persiste: estar ao ar livre e apreciar ambientes digitais compartilhados juntos.

APLICATIVO

A beleza está na simplicidade, versatilidade e praticidade da estrutura. Os outdoors não precisam mais ser substituídos, os projetos de demolição não precisam mais ocorrer, o tempo não precisa mais ser desperdiçado e os recursos não precisam mais ser exauridos. Com os hologramas, é possível ver, sentir e se conectar com a arte, a publicidade e o entretenimento com maior profundidade do que nunca. Considerando todas as coisas, a natureza dinâmica da “Realidade Holográfica” trará a tecnologia digital para a vanguarda da experiência física enquanto repensa e revive a intercomunicação humana.

Potencialmente, você pode contar uma história mais rica do que com um modelo físico. E embora uma renderização tradicional ainda seja uma opção mais rápida, fácil e barata, vemos inúmeras oportunidades. Se trata de uma nova abordagem sobre a comunicação de informações espaciais que acreditamos não tenha sido realmente explorada pela arquitetura ou que a mesma tenha tido a oportunidade de explorar. Não sabemos para onde vai, mas temos algumas boas ideias.

Deixe um comentário

Your email address will not be published.