Agência TBO
Biotecnologia e Sustentabilidade em Materiais de Construção

Biotecnologia e Sustentabilidade em Materiais de Construção

A necessidade crescente por sustentabilidade alcançou vários setores da indústria, nesse novo ciclo é evidente a associação de tecnologias diferentes, sendo elas de âmbitos digitais, físicos ou biológicos.

Em decorrência disso, a biotecnologia ganha cada vez mais destaque e relevância. Esse setor científico pode provocar uma grande repercussão sustentável e econômica no mercado de construção civil, principalmente pelo desenvolvimento de novos materiais e processos que nascem justamente por causa dela.

A percepção dos impactos negativos da construção civil no meio ambiente, desde a produção dos materiais até o descarte dos resíduos da obra, ocasionou a tendência no mercado para revertê-los. Confira a seguir algumas das aplicações desenvolvidas e que podem ser vantajosas para qualquer obra. 

Concreto reciclado

O concreto comum é formado de cimento, água e areia, com adição de pedras. Durante sua execução, o concreto desenvolve resistência e forma, liberando calor e solidificando, ficando pronto para ser usado.

A principal desvantagem do seu uso é a necessidade da extração de recursos naturais para cada elemento, além da rejeição inadequada na natureza. O conceito do concreto reciclado é utilizar os resíduos da própria obra para substituir os materiais de fontes naturais.

O concreto pode ser reciclado fresco ou rígido, e existem equipamentos apropriados para fazer a reciclagem dos componentes. Outros materiais como tijolos e telhas, que seriam descartados, também podem ser reutilizados e incorporados à mistura, formando um material de construção sustentável.

Bloco de fungos

É uma tecnologia que foi elaborada usando o micélio dos fungos, que é a parte responsável por sua sustentação e absorção de nutrientes, sendo também hidrofóbica, resistente a mofos e ao fogo, quando cultivada de forma adequada. 

Depois de processado e seco, o fungo se torna um material extremamente leve e forte, superando até mesmo o concreto. Para provar essas propriedades, em 2014, uma torre de 13 metros de altura foi erguida no Museu de Arte Moderna de Nova York, composta apenas por blocos feitos de fungos. A instalação foi realizada em cinco dias a partir de resíduos agrícolas e os blocos foram para a compostagem após a exposição. 

Além de serem inteiramente compostos de matéria orgânico e biodegradável, outro ponto positivo é que o fungo se adapta à qualquer forma que for induzido, possibilitando uma versatilidade de usos, o micélio também tem a capacidade de ser uma alternativa para muitos plásticos compostos por petróleo. 

A Agência TBO participou da CASACOR Paraná, a maior e mais completa mostra de arquitetura, design e paisagismo das Américas. Nela, contemplamos por meio do audiovisual todas as empresas participantes do Ecossistema SEBRAE, empresas que como nós, estão inseridas na construção civil e estão sempre tentando aplicar a tecnologia nos serviços oferecidos. 

E uma das empresas que se encaixa perfeitamente na sustentabilidade em materiais de construção é a Mush. Uma startup que desenvolveu placas acústicas com a tecnologia micélio e fez um kit super interessante com algumas amostras dos materiais no StudioTech da CASACOR.

Confira mais sobre o kit no vídeo:

Tijolos ecológicos

O tijolo ecológico é uma opção sustentável quando comparado com os tijolos de barro convencionais e além disso, ainda possui outros pontos positivos. Elaborados a partir da mistura de areia, resíduos de construção, água e cimento, ao invés de serem queimados em fornos e emitirem gases que podem agravar o efeito estufa, os ecotijolos são compactados e moldados em uma prensa hidráulica.

O seu formato também é vantajoso, pois por meio de furos e encaixes bem planejados é criada uma trava, diminuindo os custos com a argamassa. Ainda, é um ótimo isolante acústico e térmico, sendo também muito resistente e, quando visível, deixa qualquer espaço mais atrativo e agradável.

Ecogranito

Ecogranito, ou granito ecológico, é um revestimento sustentável feito com resquícios resultantes da remoção de granitos e mármores das jazidas,  também leva em sua constituição resina acrílica, coalescentes, espessantes, microbicidas não metálicos e pigmentação inerte. A mistura resulta em um composto de alta resistência a chuva e vento, além de uma ótima aderência à superfície aplicada.

O benefício principal do ecogranito é o fato de ser um revestimento ecológico, além disso ele também utiliza matérias-primas que são menos prejudiciais à saúde de quem atua na mão de obra e na produção desse material. Outra vantagem do ecogranito é o custo, pois ao contrário das pedras naturais, esse revestimento é amigável quando o assunto é orçamento baixo. 

Vale ressaltar que o ecogranito também oferece bastante flexibilidade para o projeto. Dessa forma, a sua semelhança com a aparência de pedra permite que seja usado em superfícies de vários formatos, sejam fachadas, elementos estruturais, bancadas, lareiras, churrasqueiras, entre outros.

Madeira de demolição

O reaproveitamento de materiais é, sem dúvida, uma das grandes tendências mundiais no âmbito sustentável. Quando o assunto é decoração, a madeira de demolição é uma alternativa muito utilizada, se destacando cada vez mais em construções, também por ser uma opção mais econômica.

Proveniente do reparo e reciclagem de madeiras nobres retiradas após a demolição de casas, galpões ou até mesmo prédios, a madeira de demolição está presente tanto em projetos arquitetônicos quanto no mobiliário, e é uma alternativa sustentável para trazer personalidade para qualquer ambiente.

Telhado verde

Já falamos brevemente sobre ele aqui no blog, assim como das madeiras de demolição, mas aprofundando o conceito: telhado verde é um revestimento de vegetação e uma forma de transformar o telhado em uma agente ecológico que tem conquistado cada vez mais presença nas construções. Constituído por plantas, ele não é somente uma cobertura verde, implica uma série de fatores como técnicas de impermeabilização e de plantio que devem ser feitas por um profissional especializado.  

A partir do telhado verde é possível economizar água e dinheiro, captando a água da chuva e a reutilizando para a limpeza de outros ambientes, como banheiros ou até mesmo para cuidar do jardim. Outra vantagem é a diminuição de possíveis alagamentos, por proporcionar um melhor escoamento das chuvas. Finalmente,  um telhado verde pode favorecer um aproveitamento melhor da luz do sol, bem como mais frescor para dentro de casa. 

Deixe um comentário

Your email address will not be published.